Casa Xavier

Foto-Casa Xavier

D. Mateus de Oliveira Xavier esteve ao serviço da Palavra e do Reino de Deus por terras das Índias Orientais, como Arcebispo Primaz de Goa, Bispo de Cochim e Patriarca das Índias Orientais.

Juntamente com o seu irmão e secretário, Mons. Sebastião de Oliveira Xavier, sempre muito amigos da sua terra e insignes benfeitores dos nossos Seminários, deixaram-nos toda uma herança que indubitavelmente nos reporta à sua vivência, tanto ao nível da habitação como do seu recheio, com peças de um valor incalculável.

A casa da família Xavier, na localidade da Silveira – freguesia da Fundada e concelho de Vila de Rei – é uma casa rural de uma família de proprietários também rurais, que iniciou construção em meados de setecentos. Apresenta em maior escala traços de arquitectura erudita de finais do século XIX e inícios do século XX, indícios estes mais evidentes na proporção e desenhos dos vãos, nos pés direitos, no desenvolvimento da compartimentação com corredor central, nos tectos estucados e seus desenhos, nas paredes acabadas e pintadas a imitar cantaria; nas carpintarias pintadas a imitar madeiras nobres, nas bandeiras da porta com vidro colorido, nos desenhos das serralharias, entre outros elementos.

O anexo tem menos pormenores, logo será mais difícil de datar. Todavia deverá ser igualmente do início da construção da casa principal. O arrumo de alfaias agrícolas é de uma arquitectura popular, sem elementos datáveis, mas possivelmente mais antigo, atendendo ao seu pé-direito diminuto.

O início da sua construção, estamos em crer, tem data anterior a 1700, altura em que o 2º Capitão da Relva, João António Baptista, herdou de seu pai aquele terreno de cultivo, junto ao qual disponibilizou a seu primo de mesmo nome, sacerdote e pároco da Fundada, espaço para construir uma casa de habitação simples, com o intuito de acolher jovens rapazes que quisessem empreender uma caminhada na Fé que os conduzisse ao serviço na Igreja Católica, sob o lema “In verbo autem tuo laxabo rete” – “pois na tua Palavra verdadeira repousarei com rectidão”.

Ainda que mais tarde tivesse sido mudada para um outro espaço, a ‘Casa dos Padres’, como sempre fora conhecida, foi sem dúvida o baluarte da formação humana e teológica de quantos por ela passaram, bem assim um fomento às vocações religiosas e sacerdotais no concelho de Vila de Rei.

Tendo falecido sem deixar herdeiros, os seus muito bens ficaram para os primos Silva (Relva), Braz (São João do Peso) e Xavier (Fundada), à excepção da ‘Casa Grande’ da Fundada, que ficou sob administração do seu protegido e feitor José Joaquim da Silva, o qual, mais tarde, comprou aos Silva algum do terreno envolvente que tinham herdado do tio. Como o seu filho, José Joaquim, casara com Luísa de Oliveira, foi a estes que calhou em herança terrenos e casa na Relva e também a ‘Casa Grande’ e seu terreno. Viveram então nesta Casa a Sr.ª D. Luísa, o marido e a filha Rosa Eulália; alguns dos seus irmãos, nomeadamente João d’Oliveira Xavier e família, assim com D. Mateus (Patriarca das Índias) e Monsenhor Sebastião.

No início do século XX mais de uma dezena de pessoas habitavam aquela casa, que à altura sofria novas obras de ampliação. Estes foram, decerto, os tempos áureos daquele espaço, dinamizado a partir dos anos 20 pela actividade médica do Dr. Mateus Tavares Xavier.

Esta página requer cookies para o seu bom funcionamento. Para mais informações consulte a politica de privacidade. Politica de privacidade .

Aceitar utilização de cookies
Politica de cookies