Dicas de Inserção Profissional

DICAS DE LOCAIS PARA PROCURA ATIVA DE EMPREGO

 

NA INTERNET:

http://www.netemprego.gov.pt;
http://vias.iefp.pt/Paginas/bemvindo.aspx (deverá registar-se online para ter acesso);
http://www.iefp.pt, Centro de Emprego da sua região(ou através do site em ofertas de colocação);
http://www.bep.gov.pt - Bolsa de Emprego Público;
http://www.dre.pt - Diário da República (consulta de procedimentos concursais públicos);
http://www.dgaep.gov.pt/stap/ (informações sobre ingresso na função publica);
http://ec.europa.eu/eures/home.jsp?lang=pt - Rede Eures – Portal Europeu da Mobilidade Profissional - poderá obter mais esclarecimentos sobre Serviços Públicos de Emprego dos Estados Membros do EEE e da Suíça junto da Conselheira da Rede Eures, no IEFP Coimbra;

OUTROS SITES:

http://pt.jobrapido.com;
http://emprego.sapo.pt/emprego/ofertas.htm/ofertageral;
https://www.infojobs.pt;
http://aeiou.expressoemprego.pt;
http://www.classificadoscm.pt;
http://www.coisas.com/emprego;
http://www.trabalhar.pt;

DICAS PARA UMA BOA CARTA DE APRESENTAÇÃO

Carta de Apresentação

A carta de apresentação é um instrumento de apresentação formal, apelativo e sintético que, juntamente com o curriculum vitae, permitirão um contato inicial seu com a empresa à qual se candidata.
Por si só, o curriculum vitae não será suficiente para a delinear suficientemente o seu perfil.

Como elaborar uma carta de apresentação


A carta deverá ser:

  • Breve e simples;
  • Suficientemente persuasiva para convencer o/a empregador/a a chamá-lo/a para uma entrevista; 
  • Redigida sem erros ortográficos, gralhas e construções frásicas incorretas; 
  • Dirigida à pessoa certa, colocando o nome e o cargo da pessoa sempre que o souber, pois o objetivo é fazer chegar a carta a quem possa tomar decisões para contratar; 

Na carta deverá:

  • Indicar claramente a que se candidata e o motivo para querer ali trabalhar;
  • Ser conciso/a, objetivo/a e destacar algumas das suas qualidades;
  • Referir a ou as áreas profissionais que mais lhe interessam, ou nas quais se especializou;
  • Deixar transparecer a sua opinião sobre o trabalho em equipa e relações interpessoais;
  • Despedir-se, disponibilizando-se para uma entrevista; 
  • Tal como o curriculum vitae, a carta deverá ser datada e assinada pelo/a próprio/a, de preferência com uma letra legível.

Nos exemplos que se seguem, poderá adaptar a sua situação em função daquilo a que se candidata, tendo em atenção o trabalho desenvolvido e os objetivos de cada entidade.

Exemplos

 

DICAS PARA UMA BOA ENTREVISTA

Trabalhar aqui. Porquê?

É uma questão para a qual deverá estar muito bem preparado/a para responder. Terá de conhecer bem a empresa e/ou a organização a que se candidata. Não se esqueça de ir mesmo muito bem preparado/a – obtenha essa informação antecipadamente, bem como sobre a função a que se candidata.

Olhe nos olhos

Dar atenção ao recetor é fundamental. É pelo contato visual que o/a entrevistador/a vai analisar a honestidade, a segurança, o interesse e a motivação do/a candidato/a.

Porquê escolhê-lo/a?

Perfecionismo é qualidade. Não seja ingénuo/a ao ponto de achar que vai conseguir fintar o/a selecionador/a / entrevistador/a. Aponte uma dificuldade e diga o que fez para conseguir resolver.

Se tivesse de escolher alguém, quem escolheria e porquê?

Não se considere a melhor escolha, de forma gratuita. Procure valorizar-se com humildade, mostrando que a sua contratação será uma mais-valia para a empresa.

Revele os seus casos de sucesso
Contar casos de êxito e fracasso é a base da entrevista por competências. Sempre que houver oportunidade insira brevemente na conversa projetos desenvolvidos por si nas empresas onde trabalhou e os resultados obtidos.

Pontos Fracos

Considere DEFEITOS o ser “demasiado profissional”, e não enumere DEFEITOS que o desvalorizam aquando da análise da sua entrevista. Se o/a questionarem sobre problemas com anteriores chefias ou colegas, mencione não se recordar de nada muito relevante ou digno de registo. Encare como situações perfeitamente normais, diferenças de opinião.

Tenha empatia

Coloque-se no lugar do/a selecionador/a / entrevistador/a. Ele/a tem o papel de encontrar o/a profissional mais adequado/a para a vaga disponível. Não se pode dar ao luxo de não criar empatia com quem o/a está a avaliar.

Trabalhar sob stress

Esta é uma questão à qual deverá responder que sim, SEMPRE. Contudo, refira que, mesmo sob stress prefere planear o seu trabalho para evitar cometer grandes erros. O planeamento e organização do trabalho permitirão lidar melhor com situações inesperadas e evitam o stress.

Fale corretamente

Fluência em línguas estrangeiras é um requisito básico em diversas áreas, mas não é uma exigência unânime. Um Inglês mal falado pode até passar despercebido.
Contudo, incorreções no Português desvalorizam o/a candidato/a. Utilize uma linguagem clara e concisa. Evite grandes formalidades (se necessário, ensaie em casa com pessoas da sua confiança).

Porque deixou o seu último emprego?

Evite críticas negativas relativas ao seu anterior emprego. Isso só servirá para uma desclassificação e desvalorização de si próprio/a. Este tipo de pergunta funciona como uma armadilha para o/a entrevistador/a percecionar qual o seu perfil enquanto trabalhador/a. Refira sempre que gosta de “novos desafios”.


Estas são dicas que lhe poderão ser úteis numa entrevista. Com certeza que haverá outras mais igualmente eficazes. Poderá sempre pesquisar sobre outros cuidados a ter durante o processo de seleção. O objetivo das dicas acima apresentadas é incentivar o/a candidato/a a preparar-se o melhor possível para o papel de entrevistado/a.

DOCUMENTAÇÃO ÚTIL

Ficha de inscrição Inserção Profissional

Modelo Curriculum Vitae

Esta página requer cookies para o seu bom funcionamento. Para mais informações consulte a politica de privacidade. Politica de privacidade .

Aceitar utilização de cookies
Politica de cookies