Estação Náutica - a Albufeira, a Paisagem e a Cultura

logo encb horizontal

A Estação Náutica de Castelo do Bode (ENCB) é um centro dinamizador de atividades ligadas à Albufeira de Castelo do Bode para o desenvolvimento de toda uma rede de atividades que integram os três elementos base da região: a Albufeira, a Paisagem e a Cultura.

ENCB

A ENCB é uma rede de oferta turística náutica de qualidade, organizada a partir da valorização integrada dos recursos náuticos presentes num território, que inclui a oferta de alojamento, restauração, atividades náuticas e outras atividades e serviços relevantes para a atração de turistas e outros utilizadores, acrescentando valor e criando experiências diversificadas e integradas.

A ENCB reúne já mais de 70 parceiros. Para além da CIM do Médio Tejo e dos Municípios de Tomar, Abrantes, Sertã, Ferreira do Zêzere e Vila de Rei, integram a Rede de Parceiros da Estação Náutica de Castelo do Bode hotéis, restaurantes, agentes de viagens, empresas e associações de dinamização turística, comércio de produtos locais, associações empresariais e entidades ligadas ao ensino.

A ENCB surge numa Albufeira, de incontornável beleza natural, onde as serranias povoadas de pinheiros bravos, eucaliptos, urze e giesta são uma constante.

Todas as informações em:

http://mediotejo.pt/

Passadiços do Penedo Furado

passadicos penedo furado

A Praia Fluvial do Penedo Furado é um dos locais mais procurados pelos muitos turistas que anualmente visitam o Concelho de Vila de Rei.

A sua água límpida e cristalina, que lentamente vai percorrendo o seu leito através da passagem natural na rocha, as características únicas do maciço rochoso e as fantásticas quedas de água fazem deste local um autêntico paraíso.

Para permitir um melhor acesso entre a Praia Fluvial do Penedo Furado e a zona das quedas de água, o Município de Vila de Rei decidiu avançar com a criação dos Passadiços do Penedo Furado. Estes percorrem uma distância de 532 metros lineares e incluem uma ponte no final do percurso e plataformas para zonas de descanso, com bancos e miradouros.

Esta nova infraestrutura vem permitir que este percurso possa ser feito de um modo mais rápido, seguro e acessível, beneficiando os milhares de pessoas que visitam o espaço.

Os Passadiços do Penedo Furado fazem assim igualmente parte dos Percursos Pedestres ‘Trilho das Bufareiras’, ‘Rota das Conheiras’, ‘Grande Rota da Prata e do Ouro’ e ‘Grande Rota do Zêzere’.

O Município de Vila de Rei encontra-se já a preparar uma extensão dos Passadiços, para que os mesmos possam, futuramente, chegar à zona dos restantes miradouros deste espaço. O objetivo é, a médio prazo, criar um percurso circular abrangendo toda a área envolvente ao Penedo Furado.

O espaço envolvente é apresenta igualmente locais de rara beleza, com a existência, na zona mais elevada, de um rochedo gigantesco com uma enorme abertura de feitio afunilado, que dá nome à praia. Aí foi criado o Miradouro do Penedo Furado, de onde é possível admirar a magnífica paisagem de serras e montes revestidos de pinhais, a ribeira do Codes, a albufeira da Barragem do Castelo do Bode e algumas casas das povoações limítrofes.

A “Bicha Pintada”, localizada abaixo do miradouro do Penedo Furado, é um fóssil que, segundo alguns estudiosos, se crê que tenha mais de 480 milhões de anos. Este tipo de estrutura é interpretada como tendo sulcos produzidos pela atividade de alimentação e deslocação de trilobites num fundo arenoso.

Próximo deste local existe o Miradouro das Fragas do Rabadão, onde existe uma via-sacra e um pequeno santuário, de onde se pode apreciar a paisagem até à Albufeira de Castelo de Bode e onde se inicia um trilho confluente com o trilho do miradouro anterior, com ligação à "Bicha Pintada".

Mitos, contos e lendas que o povo foi passando de geração em geração, fazem também parte da História do Penedo Furado e deixam a imaginação popular aliar-se a toda a beleza do espaço envolvente.

 

GALERIA DE FOTOS

 

Para mais informações contactar:

 

Município de Vila de Rei, segunda a sexta. das 9h - 13 e das 14-17h

Museu de Geodesia Todos os dias, excepto feriados, entre as 9h - 13h e as 14h - 17h

Vila de Rei Wifi

O Município de Vila de Rei disponibiliza uma rede wi-fi gratuita nos principais pontos de interesse turístico. 

Os hotspots (zona de acesso à internet livre) estão facilmente identificados com a seguinte placa:

 

placa wifi

 

 

Hotspots disponíveis:
  • Parque de Feiras
  • Biblioteca Municipal José Cardoso Pires (interior e jardins)
  • Zona Histórica junto ao Museu Municipal e ao Museu do Fogo e da Resina
  • Centro Geodésico
  • Piscina Descorberta
  • Skate-park
  • Ginásio
  • Polidesportivo descoberto
  • Campo de jogos
  • Jardim Infantil

 COBERTURA1

 

COBERTURA2

COBERTURA3

Como aceder:

Para ter acesso ao serviço de internet grátis nestas zonas, deverá ligar o Wifi do seu dispositivo móvel e escolher a rede "VilaDeRei_Wifi". Receberá a indicação de início de sessão necessário. Apenas necessita de responder ás perguntas do portal de acesso à rede:

wifi

 

Região do Médio Tejo

A Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo, com o apoio dos 13 municípios que a constituem, apresentou, na edição de 2017 da Bolsa de Turismo de Lisboa, o novo vídeo promocional da região.

As principais ofertas a nível cultural, patrimonial, religioso, desportivo e gastronómico dos 13 Concelhos são o principal destaque deste novo vídeo que pretende evidenciar todo o potencial de um território capaz de atrair os públicos mais diferenciados.

Vila de Rei, representada pelo Centro Geodésico de Portugal, Água Formosa, Penedo Furado, Fernandaires e pela figura do Pescador das águas do Zêzere mostra igualmente os seus principais ícones patrimoniais, culturais e turísticos.

 

Descubra Vila de Rei

descubra viladerei

 

logo. android. google. play. store. app. internal.001

 

windows store

 

app-store-badge-en 

Brevemente disponível

Fauna e Flora

Flora

Embora o concelho de Vila de Rei seja caracterizado pelos povoamentos de pinheiro bravo e eucalipto, podemos afirmar que existe vegetação com particular destaque, particularmente junto às linhas de água, onde se concentra a maior riqueza botânica e nas manchas que sobreviveram aos incêndios de 1986 e de 2003, que fustigaram a região.

Destacamos o sobreiro (Quercus suber L.), cuja regeneração tem sido notória, espécie típica da floresta dita mediterrânica, o carvalho-roble (Quercus robur L.), cuja expressão no concelho estava a par do castanheiro (Castanea sativa L), até este último ficar reduzido a alguns exemplares dispersos, fruto da doença da tinta, que quase o dizimou em Portugal, e as espécies associadas aos cursos de água como o amieiro (Alnus glutinosa, L), o freixo (Fraxinus angustifolia L), diversas espécies de salgueiros (Salix, spp), e o sabugueiro (Sambucus nigra  L).

Embora se associe também à paisagem da região espécies como a esteva (Cistus ladanifer, L), o estevão (Cistus populifolius L) , o sargaço (Cistus salviifolius L), os tojos (Ulex, spp),  e as urzes (Erica, spp e Calluna, spp) como  existem outras espécies no concelho com interesse, como o caso das diferentes espécies de rosmaninhos (Lavandula stoechas L Lavandula pedunculata L e Lavandula latifolia L), o medronheiro (Arbutus unedo L), a murta (Myrthus communis L), a gilbadeira (Ruscus aculeatus L), o pilriteiro (Crataegus monogyna L), a aroeira (Pistacia lentiscus L), o folhado (Viburnum timus L) e até uma espécie de orquídea singular (Orchis mascula L) que ocorre em Portugal.

  • Orchis mascula
  • Pinheiro-bravo2
  • pinheiro-bravo1

Fauna

Em termos de fauna, não mencionando apenas as espécies com interesse cinegético como o coelho bravo (Oryctolaguscuniculus), a perdiz vermelha  (Alectoris rufa) e o javali (Sus scrofa) e outras mais habituais como o caso da raposa (Vulpes vulpes) e do saca-rabos (Herpestes ichneumon), existem mais espécies a destacar, entre elas avifauna como o caso do guarda-rios (Alcedo atthis), o milhafre preto (Milvus migrans), destacando uns casais que nidificam junto ao espelho de água da barragem de Castelo de Bode, que apresentam uma característica curiosa de capturarem peixes como se fossem águias pesqueiras e a águia de Bonelli (Aquila fasciata), entre outras espécies que certamente qualquer observador de aves gostará de ter a oportunidade de ver.

Destacamos também espécies como a lontra (Lutra lutra), que tem repovoado novamente os cursos de água do concelho, sendo já frequente avistá-la e o esquilo-vermelho (Sciurus vulgaris)

Falando em cursos de água e acrescentado o facto do concelho de Vila de Rei ter uma extensa margem da barragem de Castelo de Bode, não podíamos deixar de destacar a existência de espécies piscícolas, principalmente pelo seu interesse para a pesca desportiva, tanto espécies endémicas como o caso do barbo (Barbus bocagei) e da boga  (Chondrostoma lusitanicum), como de espécies introduzidas, entre elas a carpa (Cyprinus carpio) e o achigã (Micropterus salmoides), sendo esta última considerada por muitos pescadores como a "truta do Sul" tal não é  o entusiasmo que a sua pesca dá.

  • Achiga1
  • Coelho_bravo_Jos Conde 600x384
  • Micropterus salmoides1
  • Micropterus salmoides2
  • Milhafre
  • Perdiz
cpcj banco voluntariado  prot civil2 logoPinhalMaior
  Logo-Turismo  LogoMT  

Esta página requer cookies para o seu bom funcionamento. Para mais informações consulte a politica de privacidade. Politica de privacidade .

Aceitar utilização de cookies
Politica de cookies