Índice de Transparência Municipal

Informação sobre a organização, composição social e funcionamento do Município

Informação sobre os cargos eleitos do Município

1. Publicação de informação sobre a distribuição de pelouros pelos membros do órgão executivo

2. Publicação de uma nota biográfica/CV dos membros do Executivo

3. Publicação dos endereços electrónicos dos membros do Executivo

4. Publicação da declaração patrimonial dos membros do Executivo

5. Publicação do registo de interesses dos membros do Executivo

6. Publicação do abono de despesas de representação dos membros do Executivo

7. Publicação da lista dos membros dos gabinetes da presidência e dos vereadores em regime de permanência e respectivas remunerações:

Informação sobre a organização e funcionamento do município

1. Informação geral sobre os diferentes órgãos autárquicos e suas funções

2. Publicação do Código de Ética (ou de Conduta) do Município

3. Publicação do calendário das reuniões dos órgãos do município (CM + AM)

4. Publicação das actas das reuniões dos órgãos do Município (CM + AM) [2 anos anteriores]:

5. Publicação de uma lista separada com as deliberações dos órgãos do Município (CM + AM)

6. Publicação dos endereços electrónicos gerais dos diferentes órgãos autárquicos (CM + AM) e Juntas de Freguesia

Planos e Relatórios
Impostos, Taxas, Tarifas, Preços e Regulamentos
Relação com a Sociedade

Relação com a sociedade

1. Motor de busca no site do Município

2. Link(s) para redes sociais c/ atividade

3. Sistema de informação do Município (informação atualizada sobre cortes, suspensões ou alterações de serviços, redes viárias e de transportes públicos)

4. Serviço de pedidos de informação que possibilite ao cidadão acompanhar o procedimento administrativo online (Novo)

6. Publicação dos horários de funcionamento do Município, dos seus serviços e equipamentos e respetivos custos de utilização

7. Publicação dos protocolos e deliberações relativamente a subsídios, concessões, utilização de bens móveis, como veículos e imóveis às associações cívicas, desportivas, culturais, recreativas ou outras

8. Espaço para Reclamações / Sugestões

Contratação Pública

Procedimentos pré-contratuais

1. Publicação dos bens e serviços adquiridos sem concurso (ajuste directo ou outro procedimento), respectivos fornecedores, montantes e documentação que justifique tal modalidade de contratação.

2. Publicação das peças concursais (anúncio de abertura do concurso, programa do concurso e caderno de encargos).

3. Publicação do relatório de avaliação de propostas para cada procedimento concursal.

4. Publicação dos adjudicatários e das entidades concorrentes (concursos) ou consultadas (outros procedimentos) para cada contrato.

Celebração e Execução do contrato

  1. Publicação das propostas adjudicadas.

2. Publicação dos contratos firmados com adjudicatários (incluindo adendas e anexos).

Controlo e Avaliação

  1. Publicação do número de contratos adjudicados por cada fornecedor (Novo)
  2. Publicação do valor dos “trabalhos a mais” por cada contrato (Novo)
  3. Publicação dos pareceres, vistos e relatórios de auditoria das entidades de fiscalização (Novo)
Transparência Económico-Financeira
Transparência na área do Urbanismo

Mapa Estratégico

pdf-icon - Mapa Estratégico 2014-2017

Vila de Rei aumenta população

 Segundo os dados preliminares dos Censos 2011, o Concelho de Vila de Rei regista um aumento de habitantes face aos resultados obtidos em 2001.

Considerando que estamos perante um Concelho marcadamente influenciado pelos efeitos da Interioridade, a Autarquia traçou como prioridade a criação de políticas sociais estratégicas que promovem a qualidade de vida da população, potenciando o emprego, a satisfação, mas sobretudo a sua fixação no Concelho.

São exemplos dessas medidas os apoios ao Nascimento e ao Casamento, à habitação social, os lotes a custos controlados, creche e jardim-de-infância gratuitos e diversos outros apoios que levaram a Autarquia de Vila de Rei a ser distinguida, pelo terceiro ano consecutivo, como Município + Familiarmente Responsável, pelo Observatório das Autarquias Familiarmente Responsáveis.

É de enaltecer que, pela primeira vez em muitos anos, o Concelho de Vila de Rei consegue travar a tendência de decréscimo da população, conseguindo mesmo inverter essa tendência, constituindo-se um dos únicos concelhos da Beira Interior, a par de Castelo Branco, a conseguir tal feito.

O concelho de Vila de Rei registou um aumento populacional superior à media nacional, apresentando um acréscimo de 2,83% em relação aos resultados preliminares dos censos de 2001.

Para Irene Barata, Presidente do Município Vilarregense, “os resultados preliminares dos Censos 2011 são o resultado de um incessante empenho e trabalho do executivo camarário, bem como uma motivação para continuar a desenvolver políticas em prol do desenvolvimento sustentável do Concelho.”

A operação Censos 2011 foi concertada entre município, Juntas de Freguesia e recenseadores, permitindo apurar quantos são os Vilarregenses, onde e como vivem, o seu trabalho, as suas habilitações literárias, entre muitos outros aspectos, permitindo obter um retrato territorial com as características da população. Esta operação tem lugar a cada 10 anos.

 

Área Geográfica Número de Edifícios Número de Alojamentos Familiares Número de Alojamentos Colectivos Números de Famílias Clássicas Números de Famílias Institucionais Número de Residentes
2001 2011 2001 2011 2001 2011 2001 2011 2001 2011 2001 2011
 Fundada 534 634 534 636 1 1 275 285 1 1 676 638
São João do Peso 152 172 154 178 0 1 73 63 0 1 174 204
 Vila de Rei 1779 2040 1838 2157 6 11 973 994 2 6 2504 2607
 Total 2465 2846 2526 2971 7 13 1321 1342 3 8 3354 3449

 Fonte: Dados INE 2011

 

Logomarca

 

 

 

A marca Vila de Rei foi criada para dar resposta à necessidade de identificar toda a comunicação da Câmara Municipal, garantido, ao mesmo tempo, um elo de ligação entre a região e o munícipe.

 

Num mundo em constante transformação, e onde a competitividade a todos os níveis é cada vez maior, revelou-se como vital a detenção de uma imagem de marca distinta, apelativa e identificativa da região. Esta imagem constitui uma vertente essencial para quem quer apostar no Turismo.

 

A imagem (Logomarca) divulgada reflecte características muito próprias do Concelho: o coração com o picoto da Milriça, sinal de vitalidade e centralidade; a cor azul, sinónimo de tranquilidade a par da enorme margem da Albufeira (o factor água: natureza, desportos, um bem vital); a cor amarela, sinal de calor (calor atmosférico e calor humano).

 

A imagem que marca mais um passo para a divulgação do Concelho de Vila de Rei!

 

Heráldica

Cores 5ARMAS

De prata, com uma quina antiga de Portugal acompanhada por uma Cruz da Ordem do Templo e por uma Cruz da Ordem de Cristo. Em chefe, de vermelho, uma palma de ouro em faixa. Em contra-chefe, três faixas ondadas de azul. Coroa mural de prata, de quatro torres. Listel branco com os dizeres «Vila de Rei» em negro.

BANDEIRA

Esquartelada de amarelo e azul. Cordões e borlas de ouro e azul. Haste e lança douradas.

SELO

Circular, tendo ao centro as peças das armas sem indicação dos esmaltes. Em volta, dentro de círculos concêntricos, os dizeres «Câmara Municipal de Vila de Rei».

Como as peças da principal representação nas armas são de ouro e de azul, a bandeira é amarela (que corresponde ao ouro) e azul.

Foi indicada a prata para o campo das armas por ser o metal que na heráldica significa humildade e riqueza.

A quina e as cruzes são das cores próprias.

Os rios, que representam aqui a fertilidade da região, são representados, conforme está determinado, por faixas ondadas de azul e de prata. O azul significa na heráldica, zelo, lealdade e caridade.

O vermelho do chefe significa guerras, vitórias, ardis, força e audácia.

A palma, representando o sacrifício sofrido por Vila de Rei durante das invasões de Napoleão, é de ouro, metal que na heráldica, significa nobreza, fé e constância.

 

Antigas Armas de Vila de Rei

AntigasArmasJá em 1758 o Vigário da freguesia escrevia sobre o assunto:

“As armas de Vila de Rei são: as Armas Reais, com uma azinheira, uma cabana e a lua a pôr-se no minguante.

Como é evidente, as velhas Armas do nosso Concelho aludem aos factos tradicionais (…). São o testemunho dos séculos acerca da passagem de D. Dinis e da Rainha Santa Isabel pela nossa terra querida, na aurora do nosso Concelho – o Concelho de Vila de Rei.

Segundo o parecer dos técnicos, as nossas Armas tradicionais não tinham aspecto heráldico, careciam de ordem e simetria na disposição dos seus elementos e pecavam pela omissão de referências aos valores da região.

Por outro lado, a circular do Ministério do Interior, de 14 de Abril de 1930, determinou que «as armas municipais sejam representativas da história e riquezas locais, nelas devendo figurar a vida e circunstâncias do povo que caracterizam, devendo ser simétricas e só podendo incluir referência às Armas nacionais, quando facto de alta importância o justifique». De harmonia com tudo isto, foi proposto que as Armas, Bandeira e Selo de Vila de Rei fossem assim ordenados:

Félix (1968: 257-259)

Esta página requer cookies para o seu bom funcionamento. Para mais informações consulte a politica de privacidade. Politica de privacidade .

Aceitar utilização de cookies
Politica de cookies